Destaques

I&D

+351 21 841 79 54

Mail:

© Jun/2017 Laboratório de Análises do Instituto Superior Técnico

Morada:

Campus Alameda
Instituto Superior Técnico

Águas Minerais Naturais e Águas de Nascente - Análise físico-química resumida e Análise físico-química completa, de acordo com o Despacho n.º 4859/2015.

Telefone:

A Legionella é uma bactéria ambiental que encontra em alguns equipamentos condições propícias ao seu desenvolvimento. Este microrganismo sobrevive e cresce dentro de diferentes equipamentos (torres de refrigeração, unidades de tratamento de ar (UTA's), cisternas, etc.) e sistemas de distribuição onde encontra condições propícias ao seu desenvolvimentos: temperatura ótima de crescimento, nutrientes provenientes de sedimentos, biofilmes e organismos comensais.
 
O Laboratório de Análises efectua análises de Legionella segundo duas metodologias:
 
Cultura:
Este é o método clássico, apresentando boa especificidade. Este método é baseado na ISO n.º 11731 de 1998.
 
PCR:
Método implementado no laboratório, baseado na amplificação de DNA destas bactérias bastante rápido, sensível e específico.
Incluí um passo que permite a eliminação de DNA livre em solução.

Análise de melamina e acetaldeídos - as embalagens de plástico são vulgarmente utilizadas como recipientes para armazenar água para consumo humano. No entanto, alguns dos seus constituintes podem migrar para a água, alterando algumas das suas propriedades, tais como cor, odor, sabor e outras.
Como por exemplo podem referir-se os compostos MELAMINA e ACETALDEÍDO, os quais podem ser analisados no LAIST por UPLC-MS-MS e GC-ECD ou GC-MS, respectivamente.

Análise de hidrocarbonetos - Fracção C10 a C40  - os hidrocarbonetos totais derivados do petróleo de C10 a C40 são uma mistura complexa de hidrocarbonetos, tais como os alcanos, alcenos e aromáticos. Estes compostos podem ser determinados em amostras de água por cromatografia gasosa após extracção das mesmas.
O limite de quantificação para este método é de 10 µ g/L, cumprindo assim o limite imposto no Dec. Lei 218/2015 para águas superficiais.

Análise de Norovirus GI, Norovirus GII e Vírus da Hepatite A - os moluscos bivalves, com a sua capacidade de filtrar água e sua tradicional forma de consumo (muitas vezes crua ou levemente cozinhados), são um grupo de alimentos que constitutem elevados riscos para a saúde humana sendo um dos mais comuns veículos transmissores de doenças virais causadas pela ingestão de alimentos.
Os surtos relacionados com o consumo de moluscos bivalves são geramente devidos à presença de Norovirus e Vírus da Hepatite A. Estes organismos são de rápida bioacumulação e de longa persistência no molusco bivalve.
O LAIST encontra-se acreditado para a pesquisa e quantificação de Norovirus GI, Norovirus GII e Vírus da Hepatite A em moluscos bivalves seguindo a norma internacional ISO/TS 15216-1:2013.

Determinação de Arsénio III (arsénio trivalente) em águas minerais naturais e de nascente

O LAIST tem implementada metodologia analítica que permite quantificar a espécie Arsénio III em águas "limpas", diferenciando-o do Arsénio total.
A determinação desta espécie consta do Despacho n.º 14413/2016 da DGEG, que estabelece os parâmetros físico-químicos a analisar nas águas minerais naturais e de nascente em Portugal.

aaaaaaaaaaaaiii